[ editar artigo]

O “protagonismo” dos robôs nos escritórios de advocacia

O “protagonismo” dos robôs nos escritórios de advocacia

 

 

As mudanças da tecnologia 4.0 atingiram rapidamente o mundo jurídico, causando uma insegurança muito grande a respeito das inovações para o futuro.

Diante disso, a resistência em se adaptar ao novo mundo é grande. A tecnologia é incrivelmente avançada, enquanto o ser humano, por vezes, limita-se ao desenvolvimento de suas habilidades e ao autoconhecimento. Neste caso, estamos falando de uma inteligência artificial, que aprende na interação com os humanos, ou seja, após a análise das informações coletadas pelo sistema, tais informações podem ser programadas e reproduzidas em quantidade e em velocidade.

Qual o seu medo?

Ocorre que a tendência das novas tecnologias é a de substituir o que não conseguimos alcançar. No entanto, os algoritmos serão programados para buscar todo o conhecimento, de acordo com as diretrizes que traçamos. Nada além do que for definido será desenvolvido.

Vale ressalvar que as mudanças trouxeram melhorias para as rotinas de trabalho, independente de sua área de atuação. Com isso, as habilidades como a criatividade, a colaboração e a razão social são cada vez mais exigidas como um diferencial para contratação.

É preciso manter a resiliência, para que possamos nos adaptar às novas tecnologias, a fim de aprimorar as atividades desenvolvidas, hoje,por nós. Neste novo cenário, as informações tecnológicas ganharam significado e espaço na viabilização de decisões jurídicas mais precisas. O gestor, diante deste panorama, tem a responsabilidade da tomada de decisão. Uma vez,respaldadas em indicadores quantitativos e qualitativos, advindos de softwares, as ideias se tornam mais encadeadas e a tomada de decisão se torna mais sólida, rápida e embasada.  Paralelamente, a tecnologia pode proporcionar a atualização de dados em tempo real, mesmo que muitos destes sejam atualizados manualmente,mas, com toda certeza, isso contribui diretamente para a nova advocacia.

​O mundo jurídico, ainda, tem medo de compreender que toda tecnologia está sendo desenvolvida com base em nossa própria experiência, com o uso da nossa base de dados, alinhando e transformando suas informações.

Como será seu contato com os robôs?

​Vale ressalvar que a tecnologia apresentada ao mundo jurídico já vem sendo utilizada em alguns quesitos, para integrar e aprimorar atividades da Controladoria Jurídica, para proporcionar ao controller mais tempo para analisar os dados produzidos pelo setor, levando aos sócios as melhores opções para as futuras tomadas de decisão.

Esta reflexão fundamenta a decisão que estamos tomando, diante das mudanças que vêm sendo apresentadas. As escolhas estão sendo feitas e o futuro pode nos proporcionar um resultado indesejado. Afinal, a tecnologia é nossa aliada.

Comunidade Legal Hub
Kamille Ziliotto
Kamille Ziliotto Seguir

Consultora em Produção Jurídica da Selem Bertozzi Consultoria. Advogada, palestrante e autora de artigos em Gestão Legal.

Ler matéria completa
Indicados para você