[ editar artigo]

Direito: uma breve reflexão sobre ser disruptivo

Direito: uma breve reflexão sobre ser disruptivo

Durante 10 anos de minha vida profissional, trabalhei dentro de Departamentos Jurídicos de empresas nacionais e multinacionais, fiz muitos treinamentos e estudei muito para pensar “fora da caixinha”, aprendendo técnicas muito além daquelas da tradicional Faculdade de Direito.

Exatamente para atender as necessidades de cada cliente interno, dá-se este nome as demais áreas de uma empresa, por exemplo: área comercial solicita que a área jurídica analise o contrato de compra e venda de x mercadoria, ou o contrato de parceria. Logo, a área de compras é o cliente interno da área jurídica, e assim por diante.

Ao longo da minha experiência, aprendi a demonstrar em dados e fatos, geralmente com números, planilhas e gráficos o mapeamento do departamento jurídico, com os pontos fortes e pontos de melhoria. Com intuito de proteger os interesses da empresa, respeitar a legalidade e mitigar os riscos.

Passado isto, hoje, como advogada da rua, da calçada, daquela que não está no departamento jurídico da empresa, e sim com meu escritório de advocacia, recebo belas palavras dos clientes que notam meu atendimento da advocacia voltada para a vida real, por ser racionalizada e contextualizada para facilitar nossas vidas.

Assim como eu, alguns escritórios de advocacia que já se atentaram para essa nova fase do exercício legal, têm buscado inovar em diferentes frentes, desde a sua comunicação com os clientes, como nas especialidades propostas.

A inovação é um dos pilares do empreendedorismo. Aqueles que se propõem a desenvolver uma visão inovadora sobre sua área de atuação precisam ter uma visão holística, dimensão 360º graus do que está sendo feito. Manter-se atento ao novo, com uma mente aberta a novas formas de se pensar a profissão, independente do tempo que a exerce, e das conquistas que coleciona.

As pessoas com postura inovadora possuem o “Q” da originalidade. Saem do status quo para absorver tudo aquilo de enriquecedor que está à sua volta. E neste momento, é muito importante estar aberto à multidisciplinaridade, abrir-se para as novas áreas e entender de que forma elas impactam na sua atividade profissional, melhorando-a.

Para mim é normal ser assim, simplificar. Para muitos é a advocacia disruptiva.

Não importa o nome que receba, o importante é que atenda às necessidades, em conformidade e com menor custo, seja ele emocional ou financeiro.

Simplifique e tenha bons negócios.

 

Comunidade Legal Hub
Andressa Ramos dos Santos
Andressa Ramos dos Santos Seguir

Advogada com MBA em Direito dos Contratos. Especialista em Direito Imobiliário e Processo Civil. Mentora na empresa Empreendedorismo Rosa. Avaliadora técnica da ONU, Prêmio WEPs/Brasil 2019.

Ler conteúdo completo
Indicados para você