[ editar artigo]

Adaptabilidade da Controladoria Jurídica

Adaptabilidade da Controladoria Jurídica

Há um mês não imaginávamos que tantas mudanças pudessem reformular intensamente e rapidamente nossos modelos de gestão de um modo “exigido”.

A Controladoria detém aspectos que orientam seu desenvolvimento no escritório de advocacia, sendo imediatos os resultados em relação ao ganho de eficiência e produtividade.  Mas não são todos os escritórios que estão preparados para as mudanças, alguns estavam em período de transição e outros iniciando sua implantação.

O setor é responsável por desenvolver métodos para as atividades técnicas e de gestão jurídica. E nesse momento, algumas habilidades são exigidas com intensidade e com frequência. No mundo jurídico, principalmente, não ouvíamos expressões como; “mundo VUCA”, ideia com origem em 1990, que explica a complexidade e as incertezas das situações

E quais certezas temos hoje?

Estamos falando de uma mudança de cenário rápida em meio à Quarta Revolução Industrial, em que consolidamos uma cultura empreendedora na organização, a fim de lutar contra as incertezas e ameaças dos concorrentes, que detêm uma crença inovadora na conquista de novos mercados. 

Com isso, é necessário enfatizar que algumas competências devem alinhar as novas habilidades, diretamente, com os efeitos ocasionados pela mudança do cenário jurídico. Agora é o momento de aperfeiçoar o conhecimento sobre assinaturas digitais, assinaturas eletrônicas, tecnologias e softwares.

O Gestor precisa compreender que as competências de gerenciamento vão lhe exigir mais flexibilidade perante as situações, um exemplo delas é o Home Office. Os procedimentos, até então implementados, buscavam um desenvolvimento de resultados da equipe jurídica que não se reflete mais em nosso dia a dia.

É necessário saber lidar com as diferenças...

Não imaginávamos que o Home Office teria que ser compreendido como uma questão de sobrevivência para cumprimento das atividades e que tivéssemos que adaptar as dinâmicas em um curto espaço de tempo.

Claro, que os indicadores de desempenho auxiliam a gestão dos procedimentos, focando no crescimento e nos resultados traçados pelo escritório. Mas, neste momento, não há mais planejamento, será preciso reestruturar tudo.

Agora, o gestor precisará traçar dados para os novos planos de ação, necessários, para que as mudanças sejam efetivadas, garantindo que a estratégia utilizada seja efetiva na produção de resultados.

Contudo, a operação do Software Jurídico apresentará relatórios, informações concretas das ações e da equipe jurídica responsável pela produção. Por isso, sua flexibilidade, diante das metodologias ágeis, auxiliará a análise das informações gerais.

Essa análise de resultados apresenta dados do dia a dia e proporciona, por meio de novos procedimentos, que as atividades sejam produtivas e pouco estressantes. A base de sua metodologia e os dados para gerar os resultados a serem analisados serão desenvolvidos por critérios projetados pela própria equipe, com ciclos semanais, com metas e total transparência entre procedimentos.

Diante disso, a controladoria jurídica será o marco zero para a efetivação desses resultados. O Controller deve sempre refletir, estrategicamente, a estrutura e o modelo organizacional a ser gerido para efetivar a produção desse resultado. Importante ressalvar que a eficiência e a produtividade são habilidades em constante análise pelos gestores e o objetivo é conseguir alcançá-las, a fim de garantir a lucratividade e rentabilidade do escritório.

Por isso, o período de transição nos exige empatia e muito bom senso para administrar situações novas.

 

 

Comunidade Legal Hub
Kamille Ziliotto
Kamille Ziliotto Seguir

Advogada, consultora em Produção Jurídica, palestrante e autora de artigos em Gestão Legal.

Ler matéria completa
Indicados para você